Objetivos

O objetivo precípuo do Programa de Pós-Graduação em Filosofia da UFBA é a formação de profissionais altamente qualificados para a pesquisa e a docência (sobretudo, de magistério superior) no campo exclusivo da Filosofia. Para tanto, apoiamo-nos em instrumentos oferecidos pela tradição filosófica, ou seja, em procedimentos de leitura e reflexão já canônicos, de sorte que o Mestrado tem por objetivo o aprofundamento vertical do conhecimento filosófico e o desenvolvimento da habilidade para a pesquisa em áreas específicas da filosofia. Como o Programa resume-se, momentaneamente, ao Curso de Mestrado, a capacitação a que aludimos acima materializa-se sobretudo na elaboração de uma Dissertação, com a qual o mestrando deve adquirir ou aperfeiçoar a capacidade de redação de um trabalho filosófico argumentado, bem articulado e com bibliografia pertinente e atualizada, de modo que, ao fim, esteja capacitado para a defesa pública das idéias expostas em seu trabalho. Nesse sentido, só podemos constatar com satisfação que tal objetivo central tem se cumprido de forma regular e consistente. Assim, ao tempo da primeira avaliação trienal, tendo então nosso Mestrado apenas 24 meses de atividades efetivas, já nos foi possível registrar a defesa final de 01 (uma) Dissertação, por sinal, com qualidade reconhecida pelo Comitê Assessor. Com relação ao ano base de 2004, registramos 05 (cinco) outras Dissertações, com o que se concluíram todos os trabalhos de nossa primeira turma, cabendo registrar que uma das Dissertações obteve menção honrosa no Prêmio ANPOF de 2004. Enfim, no ano base de 2005, registramos a defesa de 10 (dez) outras Dissertações, o que comprova a regularidade de nosso trabalho de orientação, enquanto no ano base de 2006 foram realizadas 5 defesas, com mais duas previstas para janeiro de 2007.
 
O Mestrado deve pautar-se, como o tem procurado fazer, por exigências elevadas na elaboração e na defesa da Dissertação. Afinal, um Programa de Pós-Graduação em Filosofia cuida do que é próprio à Filosofia, a saber, um labor conceitual refinado, que respeita exigências tradicionalmente postas pela comunidade filosófica, mas acompanha o avanço da reflexão e dos recursos disponíveis à comunidade acadêmica nacional e internacional. Uma nota distintiva e necessária dos trabalhos elaborados no Mestrado tem sido, ademais, o recurso expresso à tradição filosófica, sendo esta entendida como textos originais de pensadores reconhecidos pela comunidade filosófica, com o privilégio de autores contemporâneos - sendo a 'contemporaneidade' aqui demarcada de modo algo lábil, mas certamente compreendendo os autores posteriores à elaboração sistemática hegeliana, ou seja, a filosofia resultante da crise do pensamento moderno no século XIX. Por outro lado, não é marginal a investigação da modernidade e sua constituição, sendo a leitura competente da filosofia moderna uma das condições de demarcação das tarefas filosóficas próprias da contemporaneidade. Com isso, levamos em conta a relevância contemporânea ou a referência ao contemporâneo, pois essa abertura para autores e temas de nosso tempo não nos obriga a um tratamento exclusivo de filósofos contemporâneos. Estas duas coordenadas resgatam, e. g., a perspectiva de um refinado historiador da filosofia, o francês Jules Vuillemin, em sua obra clássica Physique et Métaphysique Kantiennes: "Eu procurei reconstituir o pensamento kantiano sem nada acrescentar de minha parte, crendo entretanto que a história da filosofia nada valeria se não nos conduzisse a uma reflexão sobre nosso mundo atual"( Vuillemin, Jules, Physique et Métaphysique Kantienne, Paris, PUF, 1948, p. 2). Ou seja, compreendemos, com Vuillemin, a relevância filosófica da história da filosofia, pois sabemos bem que critérios precisos de elevada qualidade argumentativa e de rigoroso procedimento hermenêutico foram desenvolvidos segundo tal incursão paciente à obra clássica. Com isso, a comunidade filosófica estabeleceu critérios públicos do que pode ser uma competente pesquisa filosófica. E, por outro lado, esse padrão, com as devidas variações, deve ser levado em conta mesmo quando a Dissertação tenha caráter temático, isto é, quando forem enfrentados temas de relevância contemporânea.
 
Assim definido, o Programa de Pós-graduação em Filosofia deve: (i) proporcionar a atribuição do grau de Mestre em Filosofia; (ii) desenvolver um trabalho sistemático de pesquisa em filosofia, tanto docente como discente; (iii) preservar e reforçar a natureza filosófica da pesquisa e do ensino ora desenvolvidos em seu âmbito; (iv) promover o intercâmbio com outros programas da UFBA, de modo que a interrogação filosófica contribua para a consolidação de grupos interdisciplinares, sobretudo no interior da Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas, mas também com outros programas de pós-graduação, que não poderiam aprofundar devidamente temas que lhes são naturais sem um diálogo com a filosofia; (v) promover e intensificar o intercâmbio com outros programas de pós-graduação em filosofia do país; (vi) estimular a criação de Grupos de Trabalho, segundo a diretriz da Associação Nacional de Pós-Graduação em Filosofia (ANPOF), reforçando padrões nacionais de qualidade e de avaliação da pesquisa; (vii) garantir projetos para a aquisição de obras completas clássicas e originais que porventura nos faltem, para a aquisição permanente de obras de autores contemporâneos e para a assinatura dos periódicos relevantes para as linhas de pesquisa do programa; (viii) criar as condições para, uma vez consolidado o Programa, constituir-se um Curso de Doutorado em Filosofia na UFBA, que decerto aglutinará a pesquisa filosófica desenvolvida na UFBA, nas outras Universidades do Estado da Bahia, bem como na Universidade Federal de Sergipe, correspondendo a uma demanda efetiva e cada vez mais forte da nossa região.
 
São objetivos curriculares do Mestrado, no que se refere ao campo das disciplinas: (i) a garantia de uma oferta regular de disciplina obrigatória do Programa (Problemas de Filosofia Contemporânea), que deve patentear as exigências de tópica e de método, acima mencionadas, de tratamento rigoroso e vertical da filosofia; (ii) a garantia de uma oferta adequada de disciplinas optativas, ligadas preponderantemente às linhas de pesquisa existentes. No que se refere ao campo das atividades, são objetivos curriculares do Mestrado: (i) realizar seminários permanentes de pesquisa, que conduzam à elaboração efetiva da Dissertação no prazo aproximado de 24 meses; (ii) realizar um exame de qualificação, que deve garantir a qualidade do trabalho final - tal exame é compreendido como uma reunião de trabalho, com a participação exclusiva do candidato, do seu orientador e de mais dois professores do programa, sendo oportunamente realizado, a critério do orientador, nos termos do regimento do curso; (iii) realizar defesa pública da Dissertação, com a qualidade desejada, no tempo aproximado de 24 meses. Cumpre registrar que tais objetivos relativos a disciplinas e atividades curriculares têm sido cumpridos à risca. São também objetivos do Mestrado (e, por sinal, ao lado dos anteriormente citados, sempre perseguidos ou já realizados): (i) desenvolver um trabalho integrado com os cursos de graduação em filosofia da UFBA (licenciatura e bacharelado), o que também tem repercutido nas graduações de outras IES da região; (ii) promover, como atividades de extensão, eventos filosóficos de qualidade, de sorte que ao interesse pela reflexão filosófica em nossa região, dentro e fora da Universidade, corresponda uma oferta freqüente e de padrão elevado. Compreendemos que, com esses dois últimos objetivos (cujo cumprimento constante tem sido público e notório), estamos contribuindo para a qualificação de nossa demanda filosófica, o que deve repercutir em adensamento de nossas pesquisas. Mais ainda, estamos realizando função própria dos bons cursos de filosofia, cujo papel formador costuma ultrapassar os muros da universidade.
 
Nosso objetivo estratégico é, ao fim e ao cabo, a plena implantação de um Programa de Pós-Graduação em Filosofia, com área de concentração em "filosofia contemporânea". Esse Programa materializa-se agora em nosso Curso de Mestrado, deveras bem sucedido. O Curso de Mestrado não esgotará, porém, a demanda existente por uma formação filosófica em atividades de pós-graduação e pesquisa. Afinal, a própria existência do Mestrado tem fortalecido (e fortalecerá cada vez mais) a demanda, também sólida, por um Curso de Doutorado em Filosofia, criando as condições para sua implantação com a qualidade e o rigor desejáveis. Esperamos assim poder apresentar o projeto de um Curso de Doutorado no momento oportuno, quando teremos, finalmente, o funcionamento pleno de um Programa de Pós-Graduação em Filosofia. Em vista de tais objetivos, temos caminhado a passos largos, mas de modo seguro. Temos cumprido, no prazo adequado, todos os objetivos curriculares e extra-curriculares a que nos propusemos acima. Por conta disso, o Mestrado já pode ser considerado um pólo das atividades de filosofia em nossa região, sendo igualmente uma realidade institucional e acadêmica, embora saibamos estar no início de uma longa caminhada, tendo consciência dos imensos e continuados desafios presentes, como o de sempre oferecer à comunidade filosófica, em tempo hábil, Dissertações (e, no futuro, também Teses) de qualidade.
 
Em quatro anos e meio de atividades efetivas, nossa evolução e nosso perfil são claros. Em registros rápidos, podemos elencar: 17 Dissertações defendidas, 27 docentes (29, em 2006), dos quais 18 (20, em 2006) são doutores em filosofia e, entre os que o não são, quatro têm pós-doutorados em filosofia, mas sobretudo todos os docentes concernidos pelo programa nele desenvolvem pesquisa estritamente filosófica. Também cumpre registrar os cerca de 15 eventos próprios realizados, sempre em intercâmbio com instituições e pesquisadores de renome, além de nossa participação destacada na realização do XI e agora do XII Encontro Nacional de Filosofia da ANPOF. Considerando o progresso e a consolidação de nossas atividades, julgamos correto aspirar, com fundadas razões mas sempre em sintonia com a avaliação da CAPES, à apresentação em breve de proposta de um Doutorado em Filosofia. Para tanto, porém, nossas metas devem continuar a cumprir-se; nossos projetos de pesquisa, ter continuidade (e, quando possível, financiamento); nossa demanda, constante e significativa, deve encontrar a medida de sua qualificação, continuando ademais a traduzir-se nosso objetivo precípuo de formação em Dissertações compatíveis em qualidade com a dos melhores centros. Temos consciência de que o fortalecimento do programa demanda tanto um esforço de manutenção de certas características francamente positivas, como a realização de boas expectativas nele depositadas, a exemplo do cumprimento de prazos, do reforço do intercâmbio institucional, do aprofundamento da especificidade filosófica do programa, da continuada seleção de bons alunos, do envolvimento ativo do corpo permanente e sua ampliação, da boa produção intelectual voltada a veículos criteriosos e de forma mais bem distribuída por nosso corpo docente, além do enfrentamento constante das limitações de infraestrutura das universidades federais. Por outro lado, sabemos ter avançado rapidamente, em virtude quiçá da justeza do projeto e da madureza das condições, mas não desconsideramos, por conta disso, o necessário cuidado com a rotina do Mestrado e com o cumprimento dos requisitos que, numa primeira etapa, atestarão nossa condição de um programa consolidado, com produção docente e discente de qualidade e merecedor do nível 4, de modo que, então, possamos apresentar uma proposta de Doutorado em Filosofia.